Editorial: Estância Turística de Panorama (I) – A Saúde

Editorial

O assunto Estância Turística de Panorama está aceso e volta a toda carga para que um antigo sonho se torne realidade. Para essa retomada de esperanças, sentimos o trabalho do Secretário do Turismo do Estado Márcio Franca, dando essa oportunidade para todos os interessados, especialmente para nós panoramenses que sempre lutamos por essa causa. Da mesma forma, a dedicação do Diretor Regional do Turismo de Presidente Prudente Marcos Tadeu, vem animar ainda mais as possibilidades de nossas conquistas. Na mesa redonda promovida pelo O Beira Rio, pudemos sentir a união das forças na busca desse sonho. Certeza temos que a partir do próximo ano, tudo será feito para que possamos dentro do tempo de adaptação, conquistar definitivamente o título de Estância Turística de Panorama. Mas para que isso se torne realidade e, definitivo, alguns pontos deverão ser solucionados em Panorama. As autoridades responsáveis em cada setor  buscarão acordos com a administração municipal para estruturação de itens exigidos, para que sejamos reconhecidos e, quando da pontuação final, possamos receber esse grande presente. Nada se conquista de graça, sem luta, sem suor, sem renúncia, sem determinação. E é exatamente isso que deveremos aos poucos ir solucionando, para conseguir ser estância. Um dos principais pontos, está ligado à saúde pública. Sem sombra de dúvidas esse item vai pesar e muito quando partirmos para a pontuação. Que nossas autoridades determinem aos setores competentes, que agilizem ações para que possamos sanar nossas dificuldades. Mesmo que tenhamos estruturas para atender a população fixa, deveremos entender que agora devemos partir para a flutuante, população essa representada pelos turistas. Devemos nos dedicar com todas as forças e sentidos nesse momento e, iniciando esse trabalho ainda esse ano, pois quando da implantação do sistema de pontuação, será levada em consideração o que é concreto e, não suposições ou promessas de se suprir no futuro quaisquer deficiências. Pelo que pudemos perceber, será o preto no branco, durante os dois anos e, findo esse período, os recursos como estância serão bem maiores e aí sim, poderemos afirmar que o trabalho foi compensador. Se alguma coisa falta dentro da saúde, vamos tentar fazer, mesmo que limitados. Ambulâncias, médicos e auxiliares em plantão 24 horas e, um grupo que possa servir como resgate, com informações básicas para atender também o básico, já é meio caminho andado. Quanto ao resgate, devemos entender que Dracena  atende toda a região e não podemos ficar a mercê das suas disponibilidades. O destino nos reserva sempre o imprevisto e não podemos correr esse risco. Primeiramente vamos implementar a saúde no município de Panorama… depois outras exigências e, após trabalhar mais forte para festejar essa conquista que acreditamos ser certa!


You can Deixar uma resposta, ou deixar um trackback de seu próprio site.