Situação da economia do país pode afetar consideravelmente o turismo em Panorama no mês de julho

20061503

As perspectivas do setor turístico para o aumento do número de visitantes em Panorama, pode não ser consolidado, mas garante que pelo menos, os mais constantes possam retornar a cidade em julho.
Muito embora especialistas assegurassem que com a alta do dólar, os turistas evitariam viagens internacionais, optando para as internas, o posicionamento tomou outros rumos. Mais recentemente os economistas já previam que com a situação econômica do país, a opção nem mesmo seria para lugares dentro do país, mas sim, muitos estariam procurando pontos turísticos da sua própria região.
Com isso, as esperanças de que o número de turistas que procuram Panorama no mês de julho, pode permanecer no mesmo patamar.
É que, segundo informações de setores, até o presente momento, ainda não foram registrados números de reservas ou procuras mais acentuadas. “Isso já é uma preocupação muito grande”, admite um proprietário de rancho, que em anos anteriores, nesse período já haviam negociações em andamento. No entanto, um outro, admite que sempre as reservas são feitas de ultima hora.
Um diretor da Imobiliária Chalé, já assegura que a própria situação do país, faz com que os turistas sejam mais cautelosos. Aquela empresa que há muitos anos trabalha em Panorama no ramo de locações de imóveis, tanto fixos como para temporadas, vê este mês de julho com muita cautela. O que são assíduos frequentadores certamente estarão mais uma vez em Panorama, mas mesmo assim, com um pé no freio, frente a infração que está dando nota de que a sua elevação pode ser uma coisa natural, porém preocupando a todos os setores.
Caso não haja um aumento no número de turistas e que, os demais mantenham o seu ritmo e venham para Panorama, o comércio vai ter que se contentar com o mesmo padrão de receita do ano anterior. Os investimentos devem ser ponderados para evitar que mercadorias fiquem nas prateleiras.
Em relação aos hotéis e afins, não existe uma euforia quanto ao mês de julho. Paulo Primo da direção do Paranoá, afirma que o mês de julho é sempre calmo e cauteloso. Para ele, o maior movimento de turistas acontece mesmo no final do ano.
Uma das ponderações a serem feitas, é que nos municípios onde foram registradas greve dos professores, o mês de julho poderá ficar comprometido com reposição de aulas. Nesta situação, as famílias com filhos estudantes, certamente deverão cancelar viagens de férias, pois os filhos estudantes estarão em aula.


You can Deixar uma resposta, ou deixar um trackback de seu próprio site.