Panorama é também procurada por pescadores que fazem da pesca momentos de descontração

16041602

Para quem pensa que Panorama, pelas sua belezas naturais e o potencial do Rio Paraná é procurado apenas por pescadores que aqui chegam com pesados equipamentos, incluindo os mais modernos e que fazem da pescaria apenas um desejo de buscar belos exemplares, pode ir mudando seus conceitos sobre o assunto. É que, mesmo em pequeno número a presença de outros pescadores fazem da pescaria apenas deleites.
Alguns procuram permanecer em área junto a cidade, mas muito preferem locais mais distantes, mas que estejam sempre próximo de fácil acesso e, que mesmo assim, não seja um local desabitado. Neste fato segundo se observa, é a preocupação pela segurança de cada pescador.
Antonio Lima, aposentado residente em Dracena, está quase que diariamente em Panorama. Segundo ele, que as vezes vem em companhia de algum companheiro, a pesca lhe proporciona momentos de tranquilidade. Mesmo que volte para casa sem qualquer exemplar capturado, ele admite que existe um relaxamento tanto físico quanto mental. “A gente se realiza e se reanima, diante do momento em que você vive pescando mas ao mesmo tempo contemplando a beleza do Rio Paraná”, diz ele.
Lima ainda assegura que no mínimo três vezes por semana está em Panorama, fazendo sempre o mesmo tipo de pescaria. Traz alguma coisa para alimentação, água potável e, também compra no comércio local, algumas provisões. Assim passa os melhores momentos, conforme faz questão de dizer.
Quando vem com algum companheiro, da mesma forma ele procura um outro lugar para admirar o rio e ao mesmo tempo içar a vara e esperar alguns exemplares. “Mas se não pegar nenhum peixe, a pescaria foi da mesma forma um grande sucesso” conclue ele.
O fato de que esses pescadores preferem ficar nas margens do rio, se prende ao fator segurança. Admitem que caso estejam no meio do rio, ou num lugar mais distante, numa emergência, devem entender que o barco é um motor e o motor foi feito pelo ser humano, o que está sujeito a problemas de funcionamento.
Quem se aproximar da Floriano Liboni com a Alameda Tancredo Neves, vai perceber vários carros e presenças de pessoas que ali ficam admirando o rio. Um deles em tom poético, disse que pesca todos os dias, mas com os pensamentos voltados para as águas tranquilas do Rio Paraná. Isso também é uma forma de pescaria…de sonhos.


You can Deixar uma resposta, ou deixar um trackback de seu próprio site.
Powered by WordPress | Designed by: Free Web Space | Thanks to Highest CD Rates, Boat Insurance and UK Fiverr