Divisão Municipal de Educação promove palestra sobre autismo

20051704

A Divisão Municipal de Educação realizou no dia 6, o II Encontro sobre o autismo. A iniciativa partiu da necessidade em atender com qualidade os alunos com autismo matriculados na rede, que neste ano dobrou a quantidade.
A rede municipal conta com três Salas de Recursos que oferecem Atendimento Educacional Especializado para estes alunos, além de orientar as famílias, no que é possível, para acompanharem o desenvolvimento escolar dos mesmos. Assim, com o tema “Autismo: Para ajudar, precisa entender”, promoveu-se este encontro, com Katrien Germaine Franciscus Van Heurck, Neuropsicopedagoga e Ortopedagoga (correção do desenvolvimento de pessoas com deficiências), orientadora sobre autismo e como trabalha em várias APAES e nos estados de São Paulo e Minas Gerais e especialista em detectar e avaliar alunos com autismo.
Neste momento de formação contamos com a presença de professores, familiares, alunos de Psicologia da FUNDEC e professoras do Atendimento Educacional Especializado das cidades vizinhas. O objetivo do encontro foi sensibilizar os participantes em relação a inclusão dos alunos autistas nas escolas aceitando-os como diferentes e entendo as diferenças para melhor ajudar no desenvolvimento da aprendizagem tornando possível o acesso, permanência e o sucesso na educação. A equipe do Atendimento Educacional Especializado agradece a presença e a Divisão de Educação por apoiar e prover recursos para que o evento fosse realizado com sucesso.
Pode ser entendido como um distúrbio de desenvolvimento que leva a severos comprometimentos de comunicação social e comportamentos restritivos e repetitivos que tipicamente se iniciam nos primeiros anos de vida.
Comparado a uma criança com desenvolvimento típico, normal, o Autismo é uma condição que severamente compromete a capacidade de se comunicar com os outros, de perceber acontecimentos compartilhados, de expressar o que sente ou pensa nas mais diversas situações, de utilizar as palavras de acordo com o contexto e estas características atrapalham gravemente o desenvolvimento global da criança. Se não bastasse, a presença de “manias” , posturas ou atos repetitivos, rituais e interesses restritivos independente do público ou local em que a criança portadora esteja desarticula e fragmenta ainda mais a evolução de suas habilidades sociais e adaptativas nos desafios que o ambiente imprevisivelmente apresenta.
Muitas crianças com Autismo tem distúrbios sensitivos e perceptivos visuais, auditivos e de sensibilidade na pele, levando a uma elevada sensibilidade para barulhos, ruídos específicos, luzes, agrupamento de pessoas e para determinadas cores e formas de ambientes. Por outro lado, podem ter baixa percepção para face humana, interpretação global das funções dos brinquedos e, enfim, ignorar momentos de controle social como regras e rotinas dos lugares onde visita.(c/Ass. Com)


You can Deixar uma resposta, ou deixar um trackback de seu próprio site.
Powered by WordPress | Designed by: Free Web Space | Thanks to Highest CD Rates, Boat Insurance and UK Fiverr